O Velho Chico voltando a respirar

Quem nunca fez redemoinho em um recipiente com água? Além do movimento, formam-se pequenas bolhas e foi mais ou menos essa a metodologia que desenvolvi para oxigenar um trecho do Rio São Francisco. Veja como foi usar a força da natureza para passar da taxa de oxigênio dissolvido de 1.3mg L-1 para 10.99 mg L-1.

Como relatei em posts anteriores, a situação do trecho urbano do Rio São Francisco no município de Petrolina – PE estava muito complicada e um dos índices mais preocupantes era a taxa de oxigênio dissolvido.

Os baixos valores na taxa de oxigênio dissolvido (inferior a 4mg L-1) indicam que o metabolismo microbiano está consumindo este gás, o que leva ao excesso de matéria orgânica. Exatamente o que estava acontecendo neste trecho, agravado pela decomposição desta matéria orgânica que estava abaixo das “Baronesas” e ainda liberando fósforo e nitrogênio na água. Um ciclo extremamente agressivo para a fauna e flora local.

Para mitigar este impacto o segredo não foi só a remoção mecânica desta biomassa, mas também o manejo das plantas aquáticas para formar um redemoinho em uma extensão aproximadamente de 1 km.

Mas como fazer isso em um Rio corrente? Observando que o vento contrário a correnteza neste trecho forma uma correnteza superficial contrária ao curso natural do rio. Com base nisto que planejamos a remoção das plantas fazendo um canal entre a margem e as plantas, obrigando a correnteza superficial a movimentar a água de forma circular e assim oxigenar o trecho lêntico.

Com a pujança do Velho Chico a água começou a circular no trecho e os índices aumentaram significativamente, passando do limite aceitável pelo CONAMA no357/05 para um corpo água doce que corresponde a 6.0 mg L-1 em apenas 60 dias do uso da metodologia. Hoje, neste trecho, mesmo com a redução da defluência da barragem de Sobradinho para menos da metade, conseguimos manter a qualidade da água suficiente para fazer soltura de mais de 100 mil alevinos em um trecho que tínhamos a previsão de mortandade caso não fosse feito nenhuma intervenção.

Com o avanço do projeto podemos verificar que os índices estão regulares em todos os pontos coletados (Média 10,99 mg L-1), tendo a taxa mínima de 10,99 mg L-1 superando a máxima desde 2014.

Aproveita e confere mais detalhes neste vídeo, que uso nas palestras, com objetivo de ser uma ferramenta de inspiração. Ideias e projetos como este podem sair do papel e transformar ambientes se for semeadas em solo fértil!

3 comentários em “O Velho Chico voltando a respirar

Adicione o seu

Deixe uma resposta para Rodolfo Porto Cancelar resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: